Veja-se também: BOOK REVIEWS
Veja-se também: ENDORSEMENTS FROM CATHOLIC PRIESTS


COMMENTS ON THE DEVIL'S FINAL BATTLE BY:


  James M. Bendell, Advogado   Mark Alessio, Escritor
  Cheryl Cotton   John Francis
  N.M.B., Ireland   Frank Feldhusesn
  e muitos outros.

O Derradeiro Combate do Demónio

   A nossa Mãe Santíssima deu à nossa época, em 1917, a graça de um milagre espectacular em Fátima, deixando-nos, ao mesmo tempo, advertências tão espectaculares como alarmantes. Durante os últimos 40 anos, os inimigos de Cristo procuraram enterrar esta mensagem e o pedido de Nossa Senhora sobre a Consagração da Rússia ao Seu Imaculado Coração - o único meio para obter a Paz para o mundo.

N'O Derradeiro Combate do Demónio, o P.e Paul Kramer e os outros autores vêm agora contar-nos esta história como ela nunca nos foi anteriormente contada. Seria preciso ler dúzias de livros e centenas de novos artigos para conseguir obter uma tão sólida fundamentação como a que encontramos neste livro e que comprova, de modo conclusivo, que existe uma conspiração para sepultar a Mensagem de Fátima... uma conspiração que atinge os mais altos corredores do Vaticano. Os autores demonstram este caso, para além de toda e qualquer dúvida razoável.

O que particularmente me impressionou foi este livro ter tido a coragem de revelar nomes. Deste modo, os Católicos podem não apenas saber quem tem estado a orquestrar esta diabólica conspiração como também dirigir a Deus as suas orações e pedir à Santa Sé que desautorize as intrigas destes prelados.

James M. Bendell, Advogado

 
  • Membro da Direcção e Assessor Jurídico dos Fiéis Católicos Romanos
  • Associado da Associação Americana de Advogados Católicos (filial da Costa Ocidental)
  • Antigo Delegado do Ministério Público e Advogado


O Derradeiro Combate do Demónio

   Just a note to let you know that I’m finished The Devil’s Final Battle, and I think it’s a REMARKABLE book!

One nice thing about it is that it’s a great book for both the neophyte to Fatima and also for those who are familiar with the situation. For the neophyte, it provides a detailed story of the messages in a historical perspective, while driving home the serious implications of Our Lady’s requests. For those familiar with Fatima, it provides a good recap and, more importantly, it updates the entire situation right up to the present...AND makes all the proper ‘connections’ in a clear, forthright manner.

So many people think the differences between the pre- and post-Vatican II Church are just a matter of different ‘approaches’ to the Faith, but this book shows how the takeover of the Church after the Council was nothing short of demonic. I think it drives home the severity of the current situation, and how utterly ravaged the hierarchy has become, just as Our Lady foretold it would become at Fatima and La Salette.

It’s IMPOSSIBLE to understand 20th Century history without understanding what is contained in this book. How many people today think Communism is ‘dead’? What can be more chilling than the idea of Our Lady being dismissed as a force for world peace, and Gorbachev or the U.N. being installed in Her place?

This book is a MUST read...

Mark Alessio


O Derradeiro Combate do Demónio

  Começo por lhes dizer que o que tem feito demonstra grande coragem e um grande amor a Deus, à Sua Palavra, aos Seus ensinamentos e em prol das almas da humanidade. Escolheu o caminho certo, o caminho correcto, mas, evidentemente, não o caminho mais fácil. Vou rezar todos os dias por todos, assim como já rezo diariamente pela vossa missão, a missão de Nossa Senhora de Fátima (derrotar a Satanás e salvar almas), e pela nossa querida Igreja, que já não parece a Igreja que Jesus fundou.

O seu livro O Derradeiro Combate do Demónio, foi para mim como um salva-vidas, por ter chegado numa altura em que eu estava a rezar para compreender. Estava confusa e triste, e sentia-me perdida na nossa Igreja. Tinha a certeza de que o nosso pároco estava a pregar a mensagem errada e a conduzir as almas à perdição, mas faziam com que sentisse que era eu que estava a ensinar a mensagem errada (estava na altura a ensinar doutrina a crianças do 7º ano). Fui ter com o Bispo, mas não encontrei ajuda, e comecei a duvidar do Bispo, embora a conversa que tive com ele não fosse muito clara. Em seguida comecei a pensar se eu não estaria paranóica.

Sabe, deixei a Igreja Católica aos 16 anos (em 1959). Os meus pais divorciaram-se e fiquei a viver com a minha mãe. Ela deixou a Igreja Católica e juntou-se a uma igreja não-denominacional, e eu fui com ela. Durante muito tempo estava confusa e culpada, porque “no mundo exterior” não havia (nem há) regras, e eu podia fazer mais ou menos o que me apetecia sem que considerassem que pecava. Para uma adolescente de 16 anos, isto era atraente (talvez a idade não tenha tanto a ver com isso), e embora eu fosse por arrasto (deixando a Igreja), sentia-me muito pouco à vontade.

Por isso, não segui directamente o Vaticano II. E só em 1999 é que regressei à Igreja . É como se eu tivesse “desaparecido” durante 40 anos e andasse à deriva no mundo. Quando regressei, só queria o conforto e o amor da minha querida Igreja, com a Sua doutrina e as suas tradições. Estava farta do mundo e dos seus caminhos. E na altura em que voltei à Igreja, pareceu-me no início que era a mesma, porque eu ainda estava a seguir “os modos antigos”. Mas começaram a acontecer coisas.

Num certo domingo, depois da Missa, pediram voluntários para ensinar a catequese, e eu senti-me literalmente puxada para me oferecer. A minha vida já estava muito preenchida, com marido, três filhos e um emprego a tempo inteiro, e se isto tudo não parece muito, podem crer que é. Mas tratava-se de uma coisa que eu tinha desejado muito; ofereci-me e deram-me as crianças do 7º ano, para as ensinar hora e meia ao fim da tarde das quartas-feiras.

O primeiro ano correu bem, até chegar às duas últimas aulas. Usávamos um livro que eu achava pouco satisfatório, porque era todo sobre como uma pessoa se pode tornar discípulo de Jesus, mas não ensinava nada sobre Jesus. Falava de Jesus, de como deu de comer aos pobres e fez outras boas obras, mas nunca falava da vida de Jesus, dos Seus milagres, ou da Sua morte e ressurreição, e do que significam para nós.

Fiz um inquérito aos alunos e perguntei-lhes o que sabiam sobre a Fé Católica; descobri que não sabiam quase nada. Fiquei consternada. Onde estava a riqueza da Fé? O que tinha acontecido às Bem-Aventuranças, aos Dez Mandamentos, ao verdadeiro significado da Ressurreição? Nem sequer faziam ideia da razão por que Cristo tinha morrido. Não sabiam o que era a transsubstanciação. Estas crianças estavam totalmente abertos a heresias como “Cristo é apenas um homem,” ou “a Eucaristia é só pão e vinho.” Nunca tinham ouvido falar de milagres, nem de Fátima, não tinham ideia de quem eram os santos, qualquer deles, não tinham ouvido falar do Purgatório, e não sabiam que deviam rezar pelos defuntos — e que isto era uma Obra de Misericórdia (uma Obra de Misericórdia? O que é isso?). E estavam totalmente desprotegidos em relação a Satanás, porque não sabiam nada dele, da sua manha, dos seus enganos e mentiras, e portanto não se podiam defender. Nem sequer tinham ideia de que haviam de se defender, nem de quem!

Mas, graças a Deus, quiseram saber, entusiasmaram-se e queriam aprender mais. Arranjei um filme sobre Fátima e gravações sobre milagres — milagres eucarísticos, milagres de curas. As crianças devoraram tudo. Ficaram pasmados sobre Fátima e os milagres, e eu fiquei pasmada ao ver quão pouco preparados estavam para enfrentar o mundo. No fim do ano, havia duas aulas “livres”, que os catequistas podiam utilizar como quisessem. Por isso, eu acabei a falar dos anjos celestiais de Deus, dos Anjos da Guarda e de uma série de anjos “bons”. A minha última aula foi dedicada a Satanás e ao seu grupinho de demónios. Isto foi o cúmulo! É evidente que eu não fazia ideia que tinha feito uma coisa inqualificável.

Fui chamada ao gabinete da Directora, que me disse que tinha recebido vários telefonemas de pais zangados. Com quê??? Bem, disse-me que falar de Satanás “assustava” as crianças (sei hoje que esta não era toda a verdade). Mas como podem proteger-se dele se não souberem dele e do que ele anda a fazer? A Directora desfez-se em conversa fiada, que se resumia a isto: eu estava, de uma maneira ou doutra, a ensinar uma doutrina falsa, e devia cingir-me estritamente ao livro.

No ano seguinte (o meu último ano de catequista, embora ainda não o soubesse), fiz por seguir – mais ou menos – o livro, mas acrescentei episódios da vida de Cristo. Senti-me obrigada a dar a estas crianças uma pequena ideia da beleza da Igreja Católica, uma semente que Deus podia fazer crescer depois da catequese, ao entrarem desarmados no mundo. Sentia que as suas almas estavam em risco — e na altura não fazia ideia do que se passava dentro da Igreja, da crise da Fé. Perguntei a mim mesma se não estaria a ser um pouco dramática, e respondi a mim mesma que não estava, de modo nenhum. Sentia (e sinto) muito fortemente que as suas almas, e as das suas famílias (e o mundo também, vejo eu agora) estavam em risco.

Tudo isto me confundiu. Escusado será dizer que, no fim do ano de catequese, fui informada que “não seria convidada para ensinar de novo.” Devo ser dos primeiros voluntários na história a ser despedido de um emprego muito duro e ainda por cima gratuito. Fiquei muito, muito magoada. Fizeram-me sentir que eu era uma espécie de herege. A Directora até me disse que tinha ficado à porta da sala, porta essa que estava fechada, a ouvir o que eu dizia. Ela não tinha ouvido nada de condenável, mas tinha a certeza de que eu “distorcia” as coisas ao meu gosto. Quando lhe citei as palavras de Jesus, palavras escritas na Bíblia Sagrada, fui acusada de ser fundamentalista! O padre até me disse: “Tenha cuidado!”, referindo-se ao ensino de religião ao 7º ano, e disse-o de tal maneira que senti-me primeiro chocada e depois ameaçada. Comecei a rezar por ele, por sentir que a sua alma teria muito mais que responder, pela culpa de deixar que tantas almas se desviassem.

Fiquei a saber que havia qualquer coisa errada, mas não sabia o quê. Não sabia se afectava toda a Igreja Católica ou se era só um problema da igreja que eu frequentava, ou se tinha a ver com os costumes liberais da Califórnia, que talvez se tivessem infiltrado na doutrina da Igreja. Por isso comecei a investigar. Tinha a impressão que “alguma coisa” devia ter acontecido no Vaticano II, porque antes disso tudo corria bem e era claro, quando frequentava a igreja e uma escola católica, antes de 1960. Até comprei uma gravação sobre o Cardeal Suenens, que parecia ter tido muita influência no Vaticano II. O que encontrei não me agradou, mas não conseguia determinar bem “o que é que” estava errado.

Pareceu-me que o problema tinha a ver com o Liberalismo, que se teria, de alguma maneira, infiltrado na Igreja. Encontrei um livro maravilhoso, intitulado Liberalism is a Sin (O liberalismo é um pecado), pelo Padre Félix Sardá y Salvany, publicado originalmente em 1899 e re-editado em 1979 e 1989 por TAN Books. Tem o Imprimatur de John J. Kain, Arcebispo de St. Louis, com data de 30 de Junho de 1899. Resumindo, pareceu-me que o liberalismo tinha empolado o homem, fazendo dele o “centro do universo,” o único poder activo, e o único mais capacitado a tomar as suas próprias decisões. O homem considera-se a si próprio como o principal legislador. Na prática, o homem coloca-se acima de Deus – isto no caso de reconhecer a existência de Deus.

Pareceu-me também dar pela infiltração do modernismo. Depois de investigar o Modernismo (não sabia nada dele), concluí, resumidamente, que significa que o homem está hoje muito mais esclarecido. Estamos a par da ciência. Somos muito mais inteligentes. Os valores sociais mudaram. Por isso, Deus tem que mudar de acordo com as necessidades do homem moderno. Ou a Igreja tem que mudar na sua relação com o homem moderno, alterando as Suas tradições, regras, leis e doutrina, para estar mais de acordo com as necessidades humanas modernas. Que desilusão! É uma mentira semeada por Satanás, que é mestre em enganar e confundir.

Descobri que se podia pôr fim a tudo isto, bastando o Papa consagrar a Rússia ao Imaculado Coração. O meu marido perguntou-me porque é que ele não o tinha feito, e eu respondi-lhe que pensava que era porque muitos Bispos se tinham recusado a segui-lo. Achei isto horrível, porque todos respondemos perante o Papa. Não consegui explicar-lhe porquê, ou como, qualquer padre ou Bispo podia recusar. Ele é o Vigário de Cristo.

Agora, depois de ler O Derradeiro Combate do Demónio, vejo tudo muito mais claro, embora ainda não compreenda porque é que o Papa não se ergue e toma nas mãos o poder que Cristo lhe deu. Será por ter muita idade, ou por estar doente e fraco? Mas ele já foi jovem e vigoroso. Porque não o fez então? Estará sob alguma ameaça? Afinal, o Papa João Paulo I só reinou 33 dias, e ele era forte e um guerreiro de Cristo. Ou será porque até ele é um homem bom, mas desiludido de tal maneira que segue o caminho errado? Custa-me a aceitar esta última explicação.

Quando O Derradeiro Combate do Demónio chegou no correio, Senhor Padre, comecei a lê-lo e não consegui pô-lo de lado. Fui ter com o meu marido, gritando: “Vês, vês, era isto que eu dizia. Esta é a razão para as coisas estarem como estão.”

Acabei de ler o livro em cerca de quatro dias, Senhor Padre, e o primeiro efeito que ele teve foi levar-me a rezar. Prometi a Deus que assistiria à Missa todos os dias, e que Lha ofereceria, como o Seu sofrimento, pelos pecados do mundo, juntamente com as suas orações. Continuarei a rezar para que a Mensagem de Fátima seja revelada e para que a Rússia seja consagrada ao Imaculado Coração de Maria. A segunda coisa que fiz foi começar a rezar o Terço todos os dias. Não fazia ideia da extrema gravidade de tudo isto, da profundidade dos enganos e do mal, e do pouco tempo que nos resta.

E agora preocupo-me com as almas dos meus filhos e dos filhos deles. Preocupo-me com a aniquilação das nações, e com o facto de tantas boas almas estarem a deslizar para o Abismo. Foram enganadas e ilududas, e embora compreenda que, numa determinada altura, tenham decidido seguir os “novos caminhos” da Igreja, muitos poderão tê-lo feito por descuido, sem verdadeiramente terem conhecimento do que está em jogo.

O Padre Pio disse que “O Terço é a arma POR EXCELENCIA,” a seguir à Missa. Por isso, foram estas as primeiras armas que escolhi. Dizem que a pena é mais forte do que a espada. E é! Sinto firmemente, como o Senhor Padre também sentirá, que O Derradeiro Combate do Demónio deve chegar às mãos do maior número possível de pessoas, especialmente sacerdotes e religiosos. É um dos livros mais profundos que já li, e demonstra a grande coragem que teve em o publicar. Gostava de comprar mais exemplares, para começar a divulgá-lo junto de vários padres na minha área, e também gostava de enviá-lo ao Bispo e aos Cardeais dos condados de Los Angeles e Orange. Como posso eu fazer isto? Já imprimiram mais exemplares?

Junto a esta carta a sua petição, com várias assinaturas. Acredito que o Vaticano deve ser bombardeado com papel, toneladas e toneladas de papel, em nome de Deus. Sinto que esta mensagem deve ser difundida por todo o mundo, embora o mundo seja lento a ouvir. Mas creio que hão-de começar a “ouvir” com o seu livro. Muitos padres e Bispos, porém, hão-de zangar-se e resistir. Outros terão receio. Não sei quantos serão corajosos. Mas não me parece que devamos apoquentar-nos com isso. Deixemos isso a Nossa Senhora. Ela pedirá a Jesus que lhes abrande os corações. Basta-nos fazer o que está ao nosso alcance.

Divulgar exemplares da Derradeiro combate do Demónio junto de sacerdotes, bispos, Cardeais e leigos é, na minha opinião, uma das melhores maneiras de acordar os católicos do nosso sono de 40 anos.

Sua em Cristo,

Cheryl Cotton, California


O Derradeiro Combate do Demónio

 Acabei de receber um exemplar de O Derradeiro Combate do Demónio da autoria do Padre Paul Kramer. Nele o autor apresenta, em grande pormenor (quando, onde, como e por meio de quem) a manifestação das “Superforças” – as forças satânicas ou o “fumo de satanás” sobre os quais a Nossa Mãe Santíssima nos AVISOU em Fátima, em 1917.

Foi-me impossível pôr o livro de lado. Foi enviado a algumas pessoas, para saber das suas impressões sobre o livro antes de ser difundido. É um dos melhores livros que alguma vez já li. Nele, o Padre Kramer diz-nos que É A HORA de escolhermos entre “o Bem e o Mal”. Não esperemos mais tempo. E diz mais: mesmo que a nossa escolha seja fazer o bem e viver de acordo com o Evangelho, mesmo assim devemos resistir ao mal. Lemos no Capítulo 16:

Como membros do Corpo Místico de Cristo, temos o dever de combater a crise actual. Devemos rejeitar o conselho daqueles que nos incitam à condescendência, na errónea presunção de que “É Deus Quem cuida da Sua Igreja” com o qual eles querem significar que nada devemos fazer para nos opormos aos erros e às injustiças praticados por membros da Hierarquia; mas, antes, submeter-nos cegamente a qualquer decisão da autoridade, por mais destruidoras que sejam as consequências.

E no mesmo Capítulo, um pouco mais adiante, afirma:

Muito simplesmente, como disse o Papa São Félix III, «Não se opor ao erro é aprová- -lo; e não defender a verdade é suprimi-la». Os membros do laicado e do baixo Clero não estão isentos desta injunção. Todos os membros da Igreja estão sujeitos a ela.

A minha opinião é que isto se aplica a nós, mesmo em relação ao nosso Governo.

No seu livro, o autor dedica a maior atenção ao Terceiro Segredo de Fátima, e eu estou de acordo com o que ele diz: tudo o que ponho nesta carta sobre a divulgação do Terceiro Segredo concordava com ele — com a diferença de que ele trata este assunto com maior profundidade –, incluindo o facto de a Rússia nunca ter sido consagrada ao Imaculado Coração de Maria do modo como Nossa Senhora o pediu em Fátima. O Papa, ao consagrar o mundo em 1984, NÃO cumpriu o pedido da Nossa Mãe Santíssima, ou seja: que o Papa, em simultânea união com os Bispos de todo o mundo, consagrasse a Rússia ao Imaculado Coração de Maria. Em 1984, nem o Papa mencionou a Rússia nem os Bispos fizeram com Ele a consagração ao mesmo tempo. Os clérigos do Vaticano mentiram-nos, para satisfazerem os seus fins.

O Padre Kramer chama-nos a atenção para onze mentiras que estes clérigos têm vindo a propagar entre nós. Não vou entrar em pormenores nesta carta: o que recomendo é que comprem o livro e que o leiam.

Deus vos abençoe a todos.

John Francis, Ohio

excertos do boletim The Apostles of the Pope


O Derradeiro Combate do Demónio

A BOOK THAT HAD TO BE WRITTEN

  The scandalous disclosures which have rocked the Catholic world in recent years have proved that all right-thinking people are no longer prepared to be ‘fobbed off’ with unsatisfactory explanations or fed blatant untruths which are considered to be expedient in order to cover up what is not acceptable in polite society. The consensus of opinion now is that such people, no matter what their rank or station in life may be — including those within the Hierarchy of the Church — must be exposed and held accountable for their wrong-doing.

The scandals which have hit the head-lines throughout the world are shocking indeed but perhaps even more shocking is the deliberate suppression of truth and the falsification of information being fed to the Catholic Faithful ... and, sad to say, even to a very large number of Priests by their Superiors for reasons which it is hard to even try to imagine.

Some time ago, Sr. Lucy of Fatima said ... "She (the Blessed Virgin Mary) told me that the devil is in the mood for engaging in a decisive battle against the Virgin. And a decisive battle is the final battle where one side will be victorious and the other side will suffer defeat. Also, from now on we must choose sides. Either we are for God or we are for the devil. There is no other possibility."

Clearly, the book under review takes its title from these words of the Fatima visionary who, together with her cousins Francisco and Jacinta, were entrusted with messages for the whole world and prophecies which, in addition to being explicit and clear enough for everybody to understand, included also details of what would happen if Our Lady’s requests were not complied with. In later Apparitions, Our Lord endorsed the stern warnings given by His Mother and added His own declaration, addressed specifically to the Hierarchy, as to what will happen if they continue to disregard the requirements made known to them by Our Lady of Fatima through Sr. Lucy.

There are claims and counter-claims regarding Our Lady’s stipulation that God sent Her to Sr. Lucy in 1929 to ask for the specific Consecration of Russia to Her Immaculate Heart. On the 13th May 2000, when the Pope was in Fatima for the Beatification of Francisco and Jacinta, he also made known the fact that the "Third Secret" which, at Our Lady’s request and command, should have been given to the world in 1960, was finally to be revealed. On the 26th June 2000, a lengthy explanatory document was published to accompany what was, in fact, Sr. Lucy’s account — written on several pages in her notebook — of the vision given to the children but omitting the actual "Secret" — the words spoken by Our Lady to accompany and explain this vision which words, as testified to by her Bishop at that time, were written on a single sheet of paper.

THERE IS NO ARGUMENT
AGAINST PROVEN FACTS

On-going and increasingly virulent endeavours are being made to consign Fatima and all that it involves, to the past whilst, at the same time, stating that the whole thing might well have been a fabrication on the part of the three children, naming Lucy in particular. Those responsible are feeding the poison of untruth to very confused Catholics. Now, through this powerful, revealing and essential book, all Catholics can establish for themselves, the indisputable facts against which there are no arguments.

IF WE DO NOT KNOW THE TRUTH,
WE CANNOT RECOGNISE THE ERRORS

This book — "The Devil's Final Battle" — is an eye-opener for all who seek to know the truth concerning Fatima. It is a revelation of well-documented facts against which there is no possible argument. Today, none of us can afford to turn away from the truth because it is more comfortable to do so. Taking the easy road and the line of least resistance is not going to change what lies ahead, as foretold by Our Lady at Fatima. Because of what we have seen taking place in recent decades, we know the severity of chastisement through the forces of nature — floods, famine, earthquakes and tornadoes, all of which have taken a very great toll in human life. Blindly accepting whatever is fed to us — either verbally by those who dare to do so or through the printed word, published by those who have not sought to verify the truth or otherwise of the poison that is being submitted to them for publication — is not going to change or remove what lies ahead if we continue in our failure to comply with Our Lady’s requests and the demands made by God Himself through Mary.

I quote again, the words of Sr. Lucy ... "Also, from now on we must choose sides. Either we are for God or we are for the devil. There is no other possibility." In this case, the word ‘we’ includes you ... and me. We all need to know the truth — we all need to seek out the facts so that when we are confronted with written articles in newspapers — including our time-honoured Catholic papers — or have to listen to verbal protestations from others, we will not crumble like a sand-castle but stand firm, fortified by our knowledge of the truth, the facts and what is really happening in the Church today. This book concerns not only our eternal salvation but also our physical well-being and safety and that which seems perpetually beyond the reach of governments, politicians and armies ... peace in the world in which we live.

Just as those responsible for the scandals in the Church are now being revealed and held responsible, so too, through this courageous book which just had to be written, are those responsible for causing confusion through falsification and deliberate mis-representation of the facts, being unmasked so that we — Our Lady's children on earth — can make our voices heard in Her defence and in defence of Her messages and requests.

Just as, before God, this book had to be written ... so too, for the good of our souls and our families — it has to be read.

N.M.B., Ireland, Franciscan Tertiary

 
  • Has researched and written, since the mid-1960s, on Fatima and the urgent Message of Our Blessed Mother.


O Derradeiro Combate do Demónio

   “É um livro que DEVE ser lido pelo maior número de pessoas, incluindo padres, bispos, e, evidentemente, Cardeais. É de facto um livro de grande impacto, que merece ser conhecido de todos, especialmente dos católicos.

Frank Feldhusesn, Arizona


Este livro é vital para o nosso tempo; ele é verdadeiramente crucial.
Carol A. Chavez, KS

Se quiser compreender o estado actual do mundo e o papel que nele ocupa Satanás, não deixe de ler esta obra.
Bob Golkowski

Um livro que devia ser lido por todos os Católicos - merecedores que são de conhecer os factos e a informação que esta obra contém.
John A. Luccio, DC

Extremamente bem escrito, é um livro compilado e editado com mão de mestre. Além do mais, os seus argumentos convincentes vêm demonstrar que esta traição irá trazer consigo perigos ainda maiores, tanto físicos como espirituais - até que a Rússia seja consagrada ao Imaculado Coração de Maria, do modo como Nossa Senhora o pediu.
Robert B. Brine, CA

Este livro diz tudo.
John D. Bieker, OR

É uma obra que diz a verdade; e, como sabemos, é a Verdade que nos libertará.
Don Campagna, CA

Trata-se de um livro tão relevante para a actual situação em que o mundo se encontra que todos deviam lê-lo - para sairmos da escuridão que nos rodeia.
Mary-Ann Connelly

É uma obra plena de informação. Contém a verdade e a tão necessária informação sobre a Mensagem de Fátima. Toda a gente deve ler este livro!
Rose Meighen, GA

Todos os Cristãos deveriam ter um exemplar desta obra na sua biblioteca pessoal. A Verdade não é uma coisa de que nos devamos envergonhar.
Terry Mraz, MN

Penso que O Derradeiro Combate do Demónio é a obra de maior importância que já se escreveu. De cada traço da sua pena [do autor] desprende-se uma forte verdade.
Dennis A. Nelson, MT

Uma leitura obrigatória para TODOS os Católicos.
Des Brady, ON

Fascinante e pleno de Verdade, é uma leitura essencial.
David P. Help, OR

É um livro para estar nas mãos de todos os Católicos.
Irene Kinzel, AB

Este livro assusta-me no mais fundo de mim. Por um lado, por ver que o que lá se diz é a mais pura das verdades; por outro, por as pessoas não se preocuparem muito (no geral) com o que Deus quer - quando é diferente do que elas querem.
Dustin and Michelle Lower, WA

É a obra mais importante da nossa época. Um aviso terrível dado a todos, com respeito à humanidade de hoje e deste mundo tão cheio de pecado.
Diane C. Burkland, FL

Desde o momento em que recebi o pacote com O Derradeiro Combate do Demónio , apercebi-me de que aquilo que acabara de abrir era de uma grande importância. O Vosso livro responde com precisão às perguntas que devem preocupar uma mãe católica (e atarefada) que queira ajudar à formação dos seus filhos, tanto numa base de vida quotidiana como em relação à sua vida futura no coração da Santa Igreja.
Mrs. Anita Marie Jeffery, NV

Li O Derradeiro Combate do Demónio com a impressão de que esta obra-prima, monumental no seu conteúdo, deveria estar no centro das preocupações de cada ser humano à face da Terra.
Helen Brink, AB

Meu Padre, eu hei-de elogiar sempre esta obra soberba a todos os que me quiserem ouvir, porque uma tal Verdade nunca eu a tinha visto antes escrita com tanta exactidão.
Mrs. Simone Daoust, ON

Este livro é um criativo esforço para dar ânimo e inspirar as pessoas a aproximarem-se da Verdade, enriquecendo assim a sua vida espiritual.
John A. Cox, CA

Achei o livro muito informativo. Foi ele que me explicou por que razão a Igreja está hoje devastada. Creio que há vinte anos isso seria inacreditável; mas agora ergue-se o véu e todos podemos ver os “frutos” do Concílio Vaticano II.
Patterson, NH

Sinto uma profunda admiração ao ver, expostas de um modo tão claro, informações que são, exactamente, aquilo de que eu estava a precisar. Sinto-me também mais esclarecida, a ponto de ser capaz de compreender melhor a História de Fátima e a Mensagem da Santíssima Virgem.
Charles and Genevieve

Aos Católicos pós-conciliares que neste livro lerem as Verdades do Catolicismo, só lhes resta uma escolha: ou fazem um acto de humildade, reconhecem o seu erro e, aceitando a Graça da revelação da Verdade, salvam a sua alma; ou então, desafiando razão e inteligência - e a Pessoa de Nosso Senhor Jesus Cristo -, põem a sua alma em perigo.
Erik Serafin, KS

A Verdade tem de ser dita; e este livro é um sustentáculo da Verdade. Cardeais, Bispos, Sacerdotes e leigos - todos deveriam ter esta obra.
Mrs. Kathrine ManuHides, MT

Agora sim, são claras as mudanças que estão a ocorrer na Igreja.
John Nisky, FL

É um livro maravilhoso, entusiasmante, cingido aos factos e… já deveria ter sido publicado. Explica cada um dos acontecimentos de um modo claríssimo, e ainda a razão pela qual o Concílio Vaticano II teve um efeito tão profundo e desastroso na vida da nossa Fé. Creio ter sido o Espírito Santo a inspirar o Padre Paul Kramer, para dar a conhecer ao mundo toda esta informação num único livro.
Beverly Snow, MI

Toda a gente devia ler este livro maravilhoso - A ÚNICA COISA capaz de salvar o nosso mundo.
Emil Soljack, CA

A Verdade é como um bálsamo que cura o abatimento do combate. Por isso, o livro do Padre Kramer irá revigorar a determinação do leitor. Nossa Senhora desceu até à primeira linha do Seu combate - a Vitória está nas páginas deste livro.
Nellie Villegas, BC

Que seja um acordar da Igreja Católica, para que mais pessoas venham a saber tudo o que se está a passar.
Teresa M. Campbell, AZ

Fantástico! Excelente! Apaixonante! Todos os Católicos Romanos deviam ler este livro!!
Anthony Cieslokowski, PA

Leiam este livro - e depois rezem, rezem com toda a força dos vossos corações.
Margarethe A. Ellis, ON

As revelações desta obra têm de ser lidas.
James and Irene Fahlman, SK

Uma “leitura obrigatória” para aqueles que amam e respeitam a Fé dos nossos Pais.
Jon Francis, OH

Muitíssimo obrigada por me ter dado a oportunidade de ler este livro. Essa leitura de conjunto produziu em mim, realmente, um grande impacto. Obrigada, uma vez mais.
Linda L. Hughes, CA

É o livro mais importante que eu li nos dias da minha vida! Contém muitas repetições, é certo; mas penso que essa é uma boa táctica para nos ficarem vividamente impressos no espírito os aspectos verdadeiramente fulcrais.
Ernest H. Kinzel, AB

É bom ler um livro que é honesto, cingido aos factos, e pelo qual podemos estar a par daquilo que tem acontecido e sido comentado. O Derradeiro Combate do Demónio deveria ser lido por todos aqueles a quem interessa saber AQUILO QUE É VERDADE.
Bill Kottes, MN

Estou convicto de que este livro é o mais importante que se publicou sobre a Mensagem de Nossa Senhora de Fátima. Poderá, mesmo, tratar-se do nosso derradeiro refúgio.
Mr. and Mrs. Joseph B. Fite Jr, PA

Livro excelente! É muito informativo e suscita a reflexão. Leitura obrigatória para todos os Católicos, em especial para as gerações mais jovens, a quem tem sido negado o verdadeiro ensinamento da Igreja!
J. Wilson, ON

É o melhor livro que lemos até hoje sobre Fátima e todo o torvelinho que existe no seio da Igreja Católica.
Mr. and Mrs. Max and Sharon Bierek, OR

Esta obra devia ser lida por todos os Católicos. Ela explica-nos, de um modo muito claro e bem fundamentado, tudo quanto tem vindo a acontecer na Igreja.
Gail Brady

Se há, porventura, um dever que hoje se impõe a todos e a cada um dos Católicos e os leva a agir sob a ordem de Deus, a fim de se manterem os Seus mais valiosos benefícios (hoje mais espezinhados do que nunca, e das formas mais pecaminosas), esse dever será pôr em prática, realizando-as, as acções para as quais este livro apela.
Marc Bedard, ME

Uma compreensão renovada da urgência de actuação para virmos a alcançar a recompensa final.
Diane Bertin, NH

Contem! Contem! Contem a toda a gente - e divulguem o livro. Queira Deus que todos os que lerem esta magnífica tentativa de salvar as almas, tão cheia de informação, se tornem para sempre “Amici Curiae”, ou seja, colaboradores do Tribunal Supremo, o Trono de Deus - Que é o Sumo Juiz nas causas de todas as almas.
Letty Dunning, CA

Faz com que as pessoas se capacitem de que o Demónio é o verdadeiro inimigo a combater. Penso que esta é a única resposta para os problemas e perigos sem conta que este mundo enfrenta. O timing determinado por Deus está sempre certo.
Ruth Marie Dobratz, OR

O DCD é um exaustivo tratado que não deixa lugar a discussões ou refutações. Os factos lá estão, para que todos se apercebam de que a Igreja Católica está nas mãos de alguns, poucos, mas com ideias perigosas.
D'Arcy Drachenberg, BC

Penso que este livro é indispensável. Toda a gente - tanto Católicos como não-Católicos - está admirada com a queda da NOSSA IGREJA.
Conrad L. Dupont, VA

O Derradeiro Combate do Demónio é o melhor e mais envolvente livro que pode ler-se sobre a Consagração (ou, neste caso, a não-Consagração) da Rússia. Já há anos que sabíamos que o Vaticano está cheio de maçons, mistérios e intrigas; e é isso que este livro reúne num único e belíssimo volume de conjunto. Deviam lê-lo todos os Bispos, Padres, membros do Congresso, leigos - e também o Santo Padre. Tem tanto suspense como um livro de ficção; mas é a verdade que lá vem escrita. Não consegui parar de o ler.
Mrs. Donna Craig, CA

Embora bastante ousada, trata-se de uma obra extremamente relevante e necessária nestes tempos que agora atravessamos. Creio que o autor fez - muito bem e de forma exaustiva - a cobertura de toda a situação, tal como ela existe. Penso que, tanto nos Estados Unidos ou no Canadá como no resto do mundo, todos os Cardeais, Bispos, Padres, e também professores e políticos deveriam ler este livro.
Joseph H. Carbaat

É de “leitura obrigatória” para todos os Bispos e Sacerdotes, para que protejam a nossa Nação do poder de Satanás.
Mrs. Phyllis Chevier, IN

Tudo isto é verdade; só que as pessoas más detestam a Verdade.
Mary G. Gadbury, MN

É um livro que precisa de ser dado a ler a todos os Católicos e por todo o mundo, especialmente aos Sacerdotes, Bispos e Cardeais, e também aos jovens que não conhecem nada sobre Fátima. E quando digo “jovens” refiro-me a todas as pessoas de menos de 40 anos.
Mr. and Mrs. Al Glose, WA

A Mensagem de Fátima é uma mensagem de salvação, se lhe dermos ouvidos, ou de condenação, se assim não fizermos. [Este livro] abre os olhos do leitor e fá-lo ver quem está por detrás da supressão da Mensagem; por isso, todos o deveriam ler.
Mrs. Nancy Fahrman, PA

Este livro provocador dá-nos uma visão completa da Mensagem de Fatima, focalizando- -se na conspiração que está a impedir que se faça a Consagração da Rússia ao Imaculado Coração de Maria.
Madeline Frazer, BC

O donativo que agora entrego a este projecto é a melhor maneira que conheço para deixar, aos meus filhos e aos meus netos, um mundo mais seguro, com mais Paz, Justiça e Bondade.
Eric Eckman, OK



Balcão de encomendas de O Derradeiro Combate do Demónio:

Order On-Line Now Get The Printable Order Form
Encomende on-line Encomende pelo telefone Encomende pelo correio

Use o seu cartão de crédito para encomendar O derradeiro combate do demónio e assegure uma entrega rápida.

Marque 001-716-853-1822 (chamada gratuita) e dê-nos os pormenores do seu cartão de crédito.

Clique aqui para aceder ao nosso talão de encomenda, que pode imprimir e enviar juntamente com o seu cheque ou vale do correio.